042.A parábola as dez virgens

Categorias: Doutrinarias,Mensagens

Texto: Mat. 25.1-13

1.Jesus disse: Naquele dia o Reino do Céu será como dez moças que pegaram as suas lamparinas e saíram para se encontrar com o noivo. 2.Cinco eram sem juízo, e cinco eram ajuizadas. 3.As moças sem juízo pegaram as suas lamparinas, mas não levaram óleo de reserva. 4.As ajuizadas levaram vasilhas com óleo para as suas lamparinas. 5.Como o noivo estava demorando, as dez moças começaram a cochilar e pegaram no sono.6. À meia-noite se ouviu este grito: “O noivo está chegando! Venham se encontrar com ele!”7. Então as dez moças acordaram e acenderam as suas lamparinas. 8Aí as moças sem juízo disseram às outras: “Dêem um pouco de óleo para nós, pois as nossas lamparinas estão se apagando.”9. “De jeito nenhum”, responderam as moças ajuizadas. “O óleo que nós temos não dá para nós e para vocês. Se vocês querem óleo, vão comprar!”10. Então as moças sem juízo saíram para comprar óleo, e, enquanto estavam fora, o noivo chegou. As cinco moças que estavam com as lamparinas prontas entraram com ele para a festa do casamento, e a porta foi trancada.11. Mais tarde as outras chegaram e começaram a gritar: “Senhor, senhor, nos deixe entrar!”12. O noivo respondeu: “Eu afirmo a vocês que isto é verdade: eu não sei quem são vocês!”13.E Jesus terminou, dizendo: Portanto, fiquem vigiando porque vocês não sabem qual será o dia e a hora.

INTRODUÇÃO

O grande objetivo da parábola das dez virgens é mostrar que devemos estar preparados para a vinda do Senhor a qualquer hora. Antes, porém, de assimilarmos o espírito da parábola, precisamos fazer algumas considerações:

O Tempo Profético da Parábola

Profeticamente falando, a palavra refere-se à vinda do Senhor Jesus Cristo no final da Grande Tribulação para estabelecer Seu reino na terra. Portanto, teríamos o Arrebatamento da Igreja, o período de 7 anos de Tribulação, e no final, a vinda do Senhor que pisará na terra para reinar.  Um pouco antes da parábola das dez virgens, o Senhor já estava falando sobre a necessidade de vigilância acerca da Sua volta repentina.

Acompanhe: “Então aparecerá no céu o sinal do Filho do homem; e todas as tribos da terra se lamentarão, e verão o Filho do homem, vindo sobre as nuvens do céu, com poder e grande glória. E ele enviará os seus anjos com rijo clamor de trombeta, os quais ajuntarão os seus escolhidos desde os quatro ventos, de uma à outra extremidade dos céus…Mas daquele dia e hora ninguém sabe, nem os anjos do céu, mas unicamente meu Pai…Porquanto, assim como, nos dias anteriores ao dilúvio, comiam, bebiam, casavam e davam-se em casamento, até ao dia em que Noé entrou na arca, e não o perceberam, até que veio o dilúvio, e os levou a todos, assim será também a vinda do Filho do homem…Vigiai, pois, porque não sabeis a que hora há de vir o vosso Senhor. (Mateus 24:30,31,36,38,39,42)

2.Identificando Os Que Viveram de Aparência

Essas últimas palavras proféticas proferidas pelo Senhor revelam sempre dois tipos de pessoas: o que conhece a Deus e o que não O conhece. Por mais que sejam chamados por nomes simpáticos ou aparentemente virtuosos, como por exemplo: “amigo”, “servos” ou “virgens”, contudo, aquele dia revelará que se trataram de pessoas que nunca conheceram a Deus de verdade. Nunca nasceram de novo, embora, possivelmente tenham sido até mesmo religiosos.

Observe a incidência das palavras: “amigo”, “servo” e “virgem” nos textos abaixo, embora relativas a pessoas que revelaram não conhecer ao Pai: “E o rei, entrando para ver os convidados, viu ali um homem que não estava trajado com veste de núpcias. E disse-lhe: Amigo, como entraste aqui, não tendo veste nupcial? E ele emudeceu. Disse, então, o rei aos servos: Amarrai-o de pés e mãos, levai-o, e lançai-o nas trevas exteriores; ali haverá pranto e ranger de dentes.” (Mateus 22:11-13) “Mas se aquele mau servo disser no seu coração: O meu senhor tarde virá;(Mateus 24:49) – E começar a espancar os seus conservos, e a comer e a beber com os ébrios, virá o senhor daquele servo num dia em que o não espera, e à hora em que ele não sabe, e separá-lo-á, e destinará a sua parte com os hipócritas; ali haverá pranto e ranger de dentes.” (Mateus 24:48-51) “E depois chegaram também as outras virgens, dizendo: SENHOR, Senhor, abre-nos. E ele, respondendo, disse: Em verdade vos digo que vos não conheço. Vigiai, pois, porque não sabeis o dia nem a hora em que o Filho do homem há de vir. (Mateus 25:11-13)

  3.Uma Palavra Aos Que Buscam Sinceramente Agradar a Deus

Embora o tempo profético da parábola das dez virgens esteja relacionado a um período do qual, cremos nós, não participaremos, por se tratar de algo que acontecerá após o arrebatamento da igreja e a tribulação, no entanto, o espírito do ensino é perfeitamente aplicável para qualquer período da história da igreja, bem como da nossa vida pessoal. Levando em consideração que haveremos de nos encontrar com o Senhor a qualquer hora, seja por motivo do arrebatamento, ou da morte, ou mesmo da 2a vinda de Cristo à terra, de qualquer forma, um dia terminaremos a nossa lida e prestaremos conta do que fizemos da vida. Portanto, o que seria realmente o mais importante para Deus, segundo a parábola de hoje?

              4. Sair ao Encontro do Noivo “O espírito do homem é a lâmpada do SENHOR, que esquadrinha todo o interior até o mais íntimo do ventre.” – (Provérbios 20:27). A lâmpada das virgens representa o espírito do homem. O nosso espírito foi separado da comunhão com Deus por causa do pecado. Mas o homem continua sentindo falta dessa comunhão no mais profundo do seu ser. Alguns preenchem essa necessidade de formas erradas, mas outros entendem que devem correr na direção do Pai, diante de quem suas carências são supridas.

              5. Ser Prudente Para Nunca Deixar Faltar o Azeite “Tu pois ordenarás aos filhos de Israel que te tragam azeite puro de oliveiras, batido,para o candeeiro, para fazer arder as lâmpadas continuamente” – (Êxodo 27:20). O azeite representa a Pessoa do Espírito Santo na vida de alguém. A lâmpada é o homem e o azeite é o Espírito de Deus. Lâmpadas sem azeite não iluminam, nem subsistem. As virgens néscias foram ao encontro do noivo apenas com lâmpadas, mas sem azeite suficiente. Podemos nos aproximar de Deus apenas de forma religiosa, mas essa aproximação precisa gerar vida espiritual com Deus.

              6 Estar Pronto Para o Dia do Nosso Encontro Com Deus “Portanto, assim te farei, ó Israel! E porque isso te farei, prepara-te, ó Israel, para te encontrares com o teu Deus.” – (Amós 4:12) Paulo diz assim: “Mas vós, irmãos, já não estais em trevas, para que aquele dia vos surpreenda como um ladrão…” (I Tessalonicenses 5:4) – No passado, a ausência do azeite em nosso espírito nos fazia caminhar em trevas. As trevas do ódio, da indiferença, do orgulho, da avareza, da cobiça, etc. Mas Jesus nos perdoou e nos deu um novo coração, colocando nele Seu Espírito. O nosso desafio de hoje é o de não permitirmos mais que as mesmas trevas do passado ressurjam e derramem o azeite das nossas lâmpadas, fazendo-nos  adormecer a ponto de não percebermos mais a presença do Noivo.

 CONCLUSÃO

Devemos estar preparados para o grande Dia em que nos encontraremos com o Senhor, seja por meio da morte, do arrebatamento ou da 2a vinda. Enquanto vivermos aqui, precisamos nos assegurar de que o azeite do Espírito Santo sempre esteja presente, permitindo que nossas lâmpadas permaneçam continuamente acesas diante de Deus.

 

Autor:Pr. Adiel de Santana

Presidente da Igreja Batista Emanuel em Alagoinhas e Bacharel em Teologia no Seminário teológico Batista do Nordeste

Deixe uma resposta